segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Pregos na tumba do boticário - III

Os meus catorze anos ainda estavam muito frescos. As circunstâncias proporcionaram um trabalho por recomendação... Vá se lá entender as manhas e as manhãs destas vidas!... Estava a decorrer o meu quinto dia de trabalho. Os anteriores, tinham sido compostos de ensinamentos e recomendações por parte das duas gentis senhoras doutoras que me iam incutindo no coiro uma mania de arrumar tudo estéticamente e de que tudo tem o seu lugar e tem de lá estar, que me tem aterrorizado o resto da minha vida.
Dava-se início a umas levíssimas e breves incursões pela zona de atendimento, sempre debaixo de rigoroso e perscrutante observação das ditas.

- Mário, quando alguém lhe pedir alguma coisa, escute com atenção e pergunte em que apresentação é que o cliente pretende o medicamento! Como sabe, eles têm várias apresentações e só assim, você sabe em que armário e ordem ele está!
- Com certeza Sra. doutora!
...
- Bons dias! Eu desejo aspirina!
- Com certeza! Só um momento! Aqui está!
...
- Boas tardes!
- Faz favor?
- Quero uma embalagem de voltaren!
- Quer em comprimidos ou em pomada?
...
- Boas noites!
- O que deseja?
- Quero uma embalagem de bisolvon!
- Quer em comprimidos ou em xarope?

Assim fui lentamente apreendendo os saberes! E já sabia muitos!
Sendo eu o único individuo do sexo masculino presente naquela farmácia, um senhor entra e dirige-se especialmente a mim:

- Boas tardes!
- Boas tardes! O que deseja?
- Quero uma embalagem de durex!
- Quer em comprimidos ou em pomada?
...


© Mário Rodrigues - 2011

5 comentários:

  1. Ahahahah...bem, e a resposta?!
    Beijito.

    ResponderEliminar
  2. Se o senhor era jovem, numa primeira experiência, ficou logo bem convidado! Isso dá trauma para toda a vida! Emprestaste-lhe lenço para as lágrimas ou ainda lhe pagas pensão de invalidez?

    Abraços

    ResponderEliminar
  3. kredoooooo coitado do homem... imagino o trauma...

    ResponderEliminar
  4. Possivelmente veio a fazer uma vasectomia, muito provavelmente!...

    ;-))))

    ResponderEliminar

…Escrevo, principalmente, por falta de espaço dentro de mim para tantas emoções e tão grandes (para mim). Anseio pelos comentários, porque fico com a sensação de que os pingos de emoção que transbordo caiem em terras fecundas, e coadjuvam o nascimento de novas emoções, e produzem opiniões e contra pontos e desafios… e isso. Isso é “geleia real”, para as nossas vidas…

Mensagens populares